Após assalto, cinegrafista persegue ladrões em moto e é baleado em Manaus

Após assalto, cinegrafista persegue ladrões em moto e é baleado em Manaus

O cinegrafista Renê Silva, de 45 anos, foi baleado após perseguir ladrões que assaltaram a equipe de reportagem, no bairro Coroado, Zona Leste de Manaus. Ele foi atingido por dois tiros e está internado.

Segundo a jornalista Natasha Pinto, que acompanhava o cinegrafista, a equipe foi fazer uma gravação em uma quadra do bairro Coroado sobre um caso de tentativa de homicídio que ocorreu na noite de quarta-feira (14). Após a gravação, ao tentarem retornar para o carro, os jornalistas foram abordados por dois assaltantes em uma motocicleta.

“Um deles desceu da motocicleta, apontou a arma no meu rosto e disse que eu ‘perdi’, para eu passar o celular. Eu disse para ele ‘calma’, e o outro comparsa alertou para ele a seguinte frase: ‘eles são da TV’, pois viu o microfone na minha mão, e ambos ficaram nervosos”, contou.

Os suspeitos fugiram e levaram dois celulares. Com um celular reserva, a repórter avisou a produção do jornal. A equipe de reportagem deixou o local, e o cinegrafista, que também dirige o carro, avistou a dupla de assaltantes próximo ao Clube do Trabalhador, o Sesi.

A repórter disse que tentou anotar a placa da motocicleta, mas percebeu que o cinegrafista acelerou e jogou o carro para cima dos assaltantes, que caíram em via pública.

Ela relatou que o cinegrafista saiu do carro para tentar pegar os assaltantes, entrou em luta corporal, mas um deles atirou. O cinegrafista foi então atingido por dois tiros. A repórter disse que, ao ouvir os disparos, se escondeu atrás do carro.

Os assaltantes fugiram com os celulares da equipe, que acionou a polícia e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, mas as equipes de socorro não compareceram ao local.

Um motorista que passava pela via ajudou a repórter a levar o cinegrafista até o Hospital João Lúcio.

O Centro Integrado de Operações e Segurança (Ciops) informou que o caso foi repassado para o supervisor da área, pois “não havia nenhuma viatura para o atendimento”. Uma equipe da Polícia Militar foi até o hospital e recolheu informações sobre os assaltantes.

Policiais foram até o hospital João Lúcio, em Manaus, para obter informações sobre o crime na manhã desta quinta-feira (15) — Foto: Eliana Nascimento/G1

Fechar Menu