Peso e procedência de produtos natalinos são alvo de fiscalização no AM

Peso e procedência de produtos natalinos são alvo de fiscalização no AM

O objetivo é verificar se o peso declarado na embalagem corresponde ao peso real dos itens expostos à venda.

Com o objetivo de fiscalizar irregularidades em produtos natalinos, o Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM) deflagrou, nesta quinta-feira (26), a Operação Boas Festas. O objetivo é verificar se o peso declarado na embalagem corresponde ao peso real dos itens expostos à venda.

A ação ocorre em estabelecimentos comerciais de Manaus, Iranduba, Manacapuru, Presidente Figueiredo e Itacoatiara. De acordo com o diretor-presidente do IPEM-AM, engenheiro Márcio André Brito, a fiscalização vai até o dia 16 de dezembro.

Nesta quinta-feira (26), primeiro dia da operação, pelo menos 13 estabelecimentos devem ser alvos da fiscalização.

“Os alvo são produtos relacionados à época natalina, como chester, peru, bacalhau, panetone, além de brinquedos e pisca-pisca. O objetivo é verificar se o peso declarado na embalagem corresponde ao peso real. Ano passado, encontramos mais de 1,2 mil produtos reprovados, expostos à venda e levando um prejuízo econômico para o consumidor”, explicou.

Conforme o diretor, além do peso dos produtos alimentícios, também é verificada a existência do selo do Inmetro e as informações obrigatórias para comercialização dos produtos.

 

“Nos estabelecimentos, estamos fazendo um pré-exame. Sendo identificado o produto com irregularidades, o mesmo será levado para o laboratório e, evidenciado a fraude, a multa pode chegar a R$ 1,2 milhão”, afirmou.

O presidente informou que a multa depende do porte da empresa e da reincidência do estabelecimento. Porém, quem paga a multa é o fabricante, não o revendedor

“Existe uma demanda muito grande desses produtos natalinos nessa época. Com isso, algumas empresas aproveitam o período para diminuir o peso do produto. Produtos abaixo do peso do que está declarado abaixo da embalagem é apreendido e levado para o laboratório e feito a perícia. A empresa tem o prazo de dez dias para apresentar a defesa”, finalizou.


Fechar Menu