Amazonas Manaus

Irmãos são presos suspeitos de venda de falsas cartas de crédito em Manaus

  • maio 19, 2021
  • 2 min read

Dois irmãos, de 20 e 23 anos, foram presos, na tarde de terça-feira (18), suspeitos de venderem falsas cartas de crédito em Manaus. Segundo a polícia, eles pediam um pagamento adiantado, prometiam o benefício em até 30 dias, mas as vítimas não recebiam o crédito.

De acordo com a delegada titular do 22º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Juliana Tuma, os irmãos atuavam em empresas financeiras de fachada, no Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, na Zona Centro-Sul de Manaus.

A polícia passou a investigar o caso após as vítimas denunciarem o crime. A delegada explicou que os irmãos ofereciam cartas de crédito por meio virtual às vítimas que os procuravam, mas elas não obtinham retorno.

No momento da prisão dos irmãos, a delegada contou que os policiais identificaram uma das vítimas, que estava efetuando o pagamento de suposta taxa de adesão, que seria parte do golpe.

Funcionários da empresa de fachada, que atuavam como consultores de venda e eram responsáveis pela divulgação local, também foram identificados. Conforme a polícia, eles também eram enganados pelos irmãos para realizarem os serviços.

“Esses funcionários trabalhavam com a promessa de que ganhariam 1% de comissão por cada venda realizada. Porém, isso não acontecia. Após o fim do trâmite da venda, eles ficavam aguardando o pagamento, mas também não obtinham êxito. Esse ato também funcionava como forma de golpe por parte da dupla”, disse a delegada.

O delegado adjunto do 22º DIP, Thomaz Vasconcelos, orienta que pessoas que também foram vítimas dos irmãos podem entrar em contato com a delegacia pelo número (92) 9962-2437, ou pelo 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM).

Os irmãos foram presos em flagrante e devem responder pelos crimes de estelionato e organização criminosa. Eles serão encaminhados para a Central de Recebimento e Triagem (CRT) do sistema prisional, onde permanecerão à disposição da Justiça.