Câmara Municipal de Manaus anuncia retomada de sessões presenciais para 1º de julho

Câmara Municipal de Manaus anuncia retomada de sessões presenciais para 1º de julho

Atividades no local estão suspensas desde 23 de março, por conta da pandemia de Covid-19, e devem ser retomadas de forma gradual.

As sessões plenárias presenciais na Câmara Municipal de Manaus (CMM) serão retomadas no próximo dia 1º de julho, segundo anunciou o presidente da Casa, Joelson Silva (Patriota), durante a sessão plenária virtual desta quarta-feira (24). As atividades no local estão suspensas desde 23 de março, com exceção de alguns serviços emergenciais, e devem ser retomadas de forma gradual.

Com a retomada das atividades presenciais, o recesso parlamentar do meio do ano na CMM foi cancelado e medidas de sanitização e desinfecção foram implantadas nas dependências da sede do poder legislativo municipal.

“Caso algum servidor apresente sintomas de infecção pelo novo coronavírus, a pessoa será prontamente encaminhada até a enfermaria para receber os cuidados e orientações necessários. Aquelas em estado de comorbidade, como hipertensão e diabetes, ou que estejam no grupo de risco, inclusive vereadores, irão ficar em casa”, disse o presidente da CMM, por meio de assessoria.

Joelson Silva informou, ainda, que durante o mês de julho, os gabinetes dos vereadores funcionarão com apenas dois assessores. O retorno ocorrerá gradativamente, em conformidade com as normas estabelecidas contra a Covid-19, que já infectou mais de 66 mil pessoas no Amazonas.

Redução de casos de Covid-19 no AM

Com o rápido aumento de doentes com Covid-19, o sistema público de saúde entrou em colapso e chegou a operar, em abril, com quase 100% dos leitos de UTI ocupados. Até esta quarta-feira (24), mais de 2,7 mil pessoas haviam morrido com o novo coronavírus no Amazonas, e mais de 66,7 mil foram infectados.

Nas últimas semanas, o sistema de saúde passou a operar com menos casos e registra, até esta terça-feira (23), cerca de 60% dos leitos ocupados. A redução dos números da Covid-19 no estado foram usadas como justificativa do Governo do Amazonas para começar a reabertura do comércio no dia 1º de junho.

Em Manaus, que teve caixões enterrados empilhados e em valas comuns diante do colapso no sistema de saúde, o número de enterros já apresenta redução e a média caiu para próximo ao que era registrado antes da pandemia. Porém, pesquisadores ainda consideram um novo surto da doença.


Fechar Menu