Motoristas de aplicativo participam de cortejo do colega assassinado

Motoristas de aplicativo participam de cortejo do colega assassinado

Pelo menos 300 motoristas de aplicativo irão acompanhar o cortejo do corpo de Higson Cavalcante Ramos, 49, encontrado na véspera do feriado e, que será enterrado no início da tarde deste sábado, 7, no cemitério Parque de Manaus Tarumã, Zona Oeste da cidade.

O grupo vai sair em carreata do Instituto Médico Legal (IML), na Cidade Nova, Zona Norte, onde estão neste momento aguardando a liberação do corpo que, devido ao avançado estado de decomposição, seguirá imediatamente para o enterro, sem velório.

Motorista de aplicativo, Higson estava desaparecido desde a última terça-feira, 3, e seu corpo foi encontrado três dias depois, na noite desta sexta-feira, 6, na estrada do ramal do Brasileirinho, na Zona Leste, com perfurações na região do tórax.

Segundo informações coletadas pelo Amazonas1, o corpo foi encontrado pela Polícia Militar (PM) após denúncia anônima de um morador da região, que afirmou ter sentido um forte odor vindo da mata. Durante a busca, o corpo foi encontrado com diversos golpes deferidos no peito e pescoço e uma faca, supostamente utilizada no crime. O cadáver já estava em avançado estado de decomposição.

Após o corpo ser retirado e encaminhado ao IML, colegas motoristas de aplicativos que acompanhavam o caso e ajudaram nas buscas realizaram carreata em protesto e concentração no IML até que a confirmação de identificação do corpo fosse realizada.

Um adolescente suspeito de ter participado no assassinato do motorista Higson Cavalcante foi preso na noite de ontem pela polícia, após denúncias anônimas de que ele estaria envolvido. Outros suspeitos que também teriam participação no crime estão foragidos.

“Nosso pedido é que a Polícia Militar reforce mais a segurança, faça mais blitzes, parem os carros, e que os aplicativos reforcem mais a segurança também. Precisamos de mais segurança e justiça. Espero que todos os envolvidos na morte do colega sejam presos e condenados”, disse o motorista de aplicativo Samuel Augusto, que estava contribuindo para as buscas e informações sobre o desaparecimento do colega Higson Cavalcante.

Os colegas de profissão estão revoltados e pedem justiça às autoridades e providências em relação à segurança, já que essa é a terceira morte este ano de motorista de aplicativo por assaltantes.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de aplicativos de mobilidade urbana da cidade de Manaus para solicitar posicionamento sobre o caso ocorrido e quais medidas protetivas de segurança dão aos motoristas, mas até o fim desta matéria não obteve resposta.

Prisão

Conforme nota enviada pela polícia, o adolescente de 16 anos, suspeito de envolvimento no assassinato do motorista de aplicativo, Higson Cavalcante, foi preso ainda nesta sexta-feira, 6, por policiais militares da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães).

De acordo com o relato do adolescente, ele e mais dois homens solicitaram, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte, a corrida via aplicativo, atendida pela vítima, onde seguiram para o Ramal do Brasileirinho. O infrator informou que o objetivo dos autores, inicialmente, era roubar o veículo de Higson, que foi morto com uma facada no peito.

O adolescente apreendido foi conduzido pelos policiais militares para ser apresentado na Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).


Fechar Menu