Justiça irá retomar audiência sobre morte de Miss Manicoré após laudo descartar transtornos mentais de suspeito

Justiça irá retomar audiência sobre morte de Miss Manicoré após laudo descartar transtornos mentais de suspeito

Kimberly Karen Mota de Oliveira foi assassinada a facadas em maio deste ano. Namorado fugiu para Roraima e confessou crime após prisão.

A Justiça irá retomar as audiências sobre a morte da Miss Manicoré, Kimberly Karen Mota de Oliveira, de 22 anos, após laudo médico descartar que o suspeito do crime, Rafael Fernandes Rodrigues, de 31 anos, tenha transtornos mentais. Ele era namorado da miss e confessou que o assassinato foi motivado por ciúmes.

O corpo de Kimberly foi encontrado no apartamento do namorado, no Centro de Manaus, no dia 12 de maio. Ele fugiu para Boa Vista (RR) pela BR-174, capotou o carro na estrada, mas conseguiu se esconder até o dia 15 de maio, quando foi preso em Pacaraima, região Norte de Roraima, na fronteira com a Venezuela.

Conforme o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), o juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, Anésio Rocha Pinheiro, homologou o laudo pericial junto aos autos do processo e declarou imputabilidade do réu, determinando prosseguindo da ação penal.

Rafael Rodrigues foi preso em um barraco numa área de mata em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela. — Foto: Arquivo pessoal

A ação penal estava suspensa até o processo de Incidente de Insanidade Mental ser encerrado. A defesa de Rafael Fernandez Rodrigues havia solicitado a realização de exames médicos psiquiátricos alegando que ele apresentava transtornos mentais. Porém, os exames apontaram que, mentalmente, o acusado é perfeitamente são, segundo o TJAM.

Agora, como já foi oferecida denúncia pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), o próximo passo será a realização de audiências para a instrução do processo, que serão pautadas pela 2ª Vara do Tribunal do Júri. Nessas audiências serão ouvidas as testemunhas de acusação, de defesa e o acusado.

Concluída esta etapa do processo, serão feitas as alegações finais que serão analisadas pelo juiz, que irá proferir a Sentença de Pronúncia, na qual decide se o réu vai ou não a júri popular. Se for pronunciado, o processo será pautado para julgamento em plenário.

Todas as unidades jurisdicionais com competência criminal do TJAM, do 1º Grau, vão iniciar as atividades presenciais no próximo dia 5 de outubro. As datas para as audiência do caso da Miss Manicoré não foram divulgadas.

Rafael Fernandez Rodrigues foi denunciado pelo Ministério Público do Estado do Amazonas e vai responder pelo crime de homicídio qualificado (motivo torpe e recurso que tornou impossível a defesa da vítima).


Fechar Menu